3 de dezembro de 2009

TEM-SE SAUDADE E PRESENÇA, PRESENÇA E SAUDADE...




Ninguém jamais está de todo preparado para perder a possibilidade de deixar de falar com um homem como o meu paizinho. Ninguém jamais está preparado para deixar de estar, de conversar, de ouvir, de receber, de amar e de ser edificado pela vida, sabedoria e amor de um homem como ele.
Hoje meu pai está de fato vivo e cheio de gozo, tomado de perplexidade em Deus, em estado de êxtase infinito, em prazer na consciência de ter sido um dia homem na Terra, e de ter sido levado na hora do chamado certo, e de ter entrado no banquete que já estava preparado para ele desde antes da fundação do mundo.
Meu papai... Que amo d+! Não preciso explicar pra ninguém o que esse homem de Deus (meu pai) representa pra mim. Pai sempre foi muito mais que um pai! Na terra ele é o pai, e minha mais firme inspiração humana. O que pode haver de melhor em mim é herança que recebi dele.
Ele se foi no dia 15 de Novembro de 2009. Fiquei firme e forte; por ele, por mim ,pela minha mãe, pelas minhas manas, filhas, sobrinhos. ..
No entanto, à medida que fui vendo a vida ir voltando a ganhar os seus contornos de nova rotina para todos eles, parece que minha alma foi se permitindo o meu próprio luto.
Agora, já dias depois, é que tenho acordado e passado o dia com o peso da ausência dele.
Ouço a voz dele, vejo milhares de imagens, escuto suas opiniões, observo de longe seu modo de ser, de amar, de perdoar, de esquecer, de abençoar os inimigos, de esperar e de sempre se alegrar nas dificuldades.
Hoje estou exausta e precisando descansar. Todavia, hoje, mais do que ontem, sei que meu cansaço é saudade, é vontade de falar com ele,de beija-lo, de sentir aquele cheiro que dele exalava.

Mas um consolo tenho...

“Quem vive e crê, não morre... Mesmo que morra. E quem morre mesmo crendo, não morre, pois vive eternamente.”
Uma filha que apenas ama seu pai...
Silvania Itaboray.