14 de outubro de 2013

"GUARDAR NO CORAÇÃO" E, EM ALGUNS CASOS,E SÓ FALAR COM O ETERNO EM SECRETO.

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" minhas guerras e ser um porta voz da paz.

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" meus desencantos e encorajar reencantos. 

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" minhas desesperanças e alimentar e fazer valer fiapos de esperança.

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" meus desamores e encorajar amores.

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" e entregar ao Eterno o meu mal e buscar fazer o bem, bem feito e fazer até o fim.

Prefiro "GUARDAR NO CORAÇÃO" o que pode me matar e matar outros, mas, promover a vida onde vida há e onde a ressurreição pode chegar.

"GUARDAR NO CORAÇÃO" é evitar se expressar como se estivesse surtando ou quando se está "surtado".

No surto, minhas expressões não são fruto de um coração apaziguado.
Corações apaziguados expressam paz, equilíbrio, moderação, mansidão, temperança, paciência, compaixão, misericórdia, esperança, vida.
Coração apaziguado não é bélico é belo!!!
(Mano Brega)