5 de novembro de 2010

QUE PLANO É ESSE?



QUEM ANDA PELA FÉ, BUSCA DISCERNIR O QUE É BOM, MAS JAMAIS SABE DE NADA ALÉM DO QUE VÊ E PERCEBE.


Se Deus tem um plano, saiba: não é um roteiro de cinema, nem uma corrente de eventos revelada à priori, nem um mapa a ser seguido, nem qualquer forma de determinismo.
Além disso, aos que Ele disse qualquer coisa, disse apenas coisas relacionadas à mensagem a ser anunciada, mas não deu detalhes sobre a vida de ninguém. Do contrário, o justo não viveria pela fé, mas pelo plano.

Esse tal “plano de Deus” dos crentes, não só é vício pagão, como é uma espécie de cartomancia gerencial histórica, disfarçada de fé. E nisso há tudo—insegurança, idiotice, infantilismo, ignorância, covardia, etc. — menos fé.

Nunca esperei um HOMEM de Deus, por exemplo. Apenas escolhi o que gostei. Plano de Deus? Hoje sei que sim. Mas jamais antes.
Eu particularmente nunca trabalhei pensando num certo plano de Deus para mim. Apenas fiz de todo o coração o que me veio às mãos para fazer. Nunca procurei tal plano. Apenas segui, em fé, os desejos de meu coração sempre que eles, genuinamente, apontavam e apontam o que é bom.

Apenas devemos viver com fé e bom senso o que esta posto diante de nós. E isto conforme Paulo, que disse: “Fazei tudo de coração como para o Senhor!” Sim, porque “a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” não é como uma adivinhação. Mas sim é que eu não me conforme com este século, e me deixe transformar pela renovação de minha mente; ou seja: de meu entendimento crescentemente harmonizado com o espírito do Evangelho.

Todas as pessoas “do plano” que conheci e conheço são ou se tornaram seres paralisados, amargos, infelizes, e cobrando de Deus o que Deus nunca propôs. O plano de Deus é um só: que cresçamos na Graça e no Conhecimento de Cristo Jesus! O resto, não nos é revelado. Do contrário, a vida já não seria vida, mas apenas um roteiro para robôs.

O plano de Deus é que andemos pela fé e com o coração buscando discernir e aplicar o que é bom — tanto para mim quanto para os outros! Sim! O plano de Deus é este: “O que quereis que os homens vos façam, fazei isto mesmo antes a eles”.

O mais: com quem casarei, a quem amarei, onde trabalharei, quantos filhos terei, e como será a minha vida? — eu não sei nunca à priori, mas somente depois de ter tomado as minhas próprias decisões — e sempre no desejo de tomá-las conforme o espírito do Evangelho, que é amor, verdade e bom senso. Mas à posteriori é que muitas vezes entendendo as coisas.
O plano sou eu. O plano são os dons que Ele me deu. O plano são as boas oportunidades. O plano é a capacidade de realizar o que é bom. O plano é viver com bom senso conforme o Evangelho.
Tudo o que me vem às mãos para fazer, faço-o com gratidão, alegria e com o melhor de mim. Este é o único plano de Deus que me está disponível à priori.

Nunca espere nada. Sempre ande com que tem e é. Nunca fique esperando por oportunidades milagrosas. Ao contrario, aproveite as oportunidades. Esse negócio do plano de Deus é doença de crente pentecostal, que adora saber à priori o que ninguém sabe ou deveria saber; pois, quando assim é, a pessoa se infantiliza, e jamais cresce na vida, ficando paralisada e cada vez mais amargurada.
Emprego, a gente pega o que vem. Se aparecer um melhor, a gente vai...
Homem/mulher, a gente escolhe a que ama e gosta. Se der certo, deu. Se não deu, foi experiência. E a gente aprende...
Ministério, a gente exerce os que são pré-existentes em nós como dons.
Jesus, à exceção do que disse a Pedro em João 21, acerca de sua morte futura, a ninguém disse mais nada — exceto, também, a Paulo; e foi apenas um “mostrarei o quanto importa sofrer pelo meu nome”. Mas não detalhou nenhuma história. Sim! Paulo nada sabia além de que doeria docemente andar com Jesus.
O mais, no máximo, e de vez em quando, quando acontece, Ele corrige certas rotas; porém o faz com a “talhadeira da existência”. E sem bolas de cristal.
Quem anda pela fé, busca discernir o que é bom, mas jamais sabe de nada além do que vê e percebe. Quem anda pela fé corre riscos — mas não de modo suicida.
ELE, não disse como seria, mas disse que estaria conosco todos os dias, e isso mesmo quando não sabemos como responder à vida,
(Caio Fabio)