9 de setembro de 2009

POR QUE PEDOAR É TÃO DIFICIL?

Porque enquanto perdoar for um fardo e uma obrigação, todo perdão é apenas sacrifício...



Você quer perdoar?Então decida.Perdão é uma decisão.Você quer perdoar?...Então, ao decidir, decida também matar os temas como ilustração para sempre...Se você diz que perdoou apenas porque aceitou o culpado, mas lembra a ele de seu erro sempre que ele erre, então, você não o perdoou, apenas o seqüestrou a você.O perdão não tira a nossa memória dos fatos, mas tira a emoção deles, e, além disso, mata o fato passado como argumento para a vida contra a pessoa.Ninguém é obrigado a ficar com ninguém mesmo depois de perdoar o ofensor...Aliás, até para que duas pessoas se separem é essencial que se perdoem...No entanto, se decidem continuar perdoadamente juntos, então, que o tema da ofensa não volte nunca mais...Cada ofensa é uma ofensa... Quem perdoa lida com cada uma, não com o montante das ofensas, pois, se a cada nova ofensa tudo voltar..., é porque perdão nunca houve.Jesus mandou perdoar até 70X7 o mesmo individuo em um só dia... Mas a cada perdão não se deve trazer a multidão dos outros para o encontro com a verdade... Ou, então, melhor é não dizer que se perdoou...O grande desafio do perdão é desistir da ofensa do outro como direito nosso contra ele!Quem perdoa não perde a memória, mas desiste do direito de acusar ou de reter a memória como raiva ou crédito...Por isto o perdão é um ato de fé e não de emoção...Pela emoção ninguém perdoa ninguém...Somente pela fé que antes olha para o próprio perdão que se recebe de Deus todos os dias..., é que alguém pode praticar o perdão como decisão de graça e como privilégio...Se perdoar não se tornar um privilégio..., creia: ninguém perdoa.Somente quem diz de verdade “é meu privilégio perdoar”... é que de fato perdoa de modo perdoado mesmo...Mas enquanto perdoar é um fardo e uma obrigação, todo perdão será apenas sacrifício...Perdão é vida quando se torna privilégio em fé!
Pense nisso!

Eu, tenho pensando muito em tudo isso nestes últimos dias tentando digerir cada implicação dessas palavras que pra mim o paladar ainda é amargo.
Nele, que me perdoa,e decido perdoar.
(Adaptação de um texto de Caio Fabio)