7 de março de 2009

QUE VOCÊ POSSA DISCENIR A GRANDEZA DA LIBERDADE QUEM EM CRISTO EU TENHO. – OUÇA COM O CORÇÃO!


Me assusto sempre com o amor de Deus.
Vejo uma montanha infindável de culpas que foram abolidas não só relacionadas aos meus atos injustos, mas, sobretudo relacionados à essência do meu ser, “porque eu sou pecador, não porque eu peco, eu peco é porque eu sou pecador”. Por tanto o grande pecado não é aquilo que eu pratico ou não pratico, é aquele que eu sou.
Quem recebeu perdão... Perdoa. Quem recebeu graça... Derraba graça.
Quem recebeu amor... Ame. Quem foi acolhido por Deus... Acolhe.
Quem não foi julgado, porque o julgamento caiu sobre Jesus, pois aquele que não teve pecado Deus o fez pecado por nós, esse não julga, perdoa as nossas dívidas, assim como “nós perdoamos” nossos devedores.
“Devemos viver sempre de tal modo que as pessoas de um modo ou de outro, pudessem saber que existe algo divinamente humano e humanamente divino em nós; não em razão de maneirismos, trejeitos ou performances.”
É por isso que o amor é o princípio da graça.
Uma vez que essa graça que vem Dele para mim, por iniciativa Dele, que é a pulsão divina que move o amor de Deus em minha direção, me visita; eu entendo.